Usuarios da semana...

sábado, 19 de junho de 2010

EXTRA!! EXTRA!!!

Livro sobre Luiz Gonzaga será lançado neste sábado

19/6/2010

Uma visão diferente da vida e obra de Luiz Gonzaga, conhecido como ´Rei do Baião´. Essa é a proposta do escritor e coronel da reserva da Polícia Militar do Maranhão José Marcelo Leal Barbosa, que lançará no próximo sábado, (19), em Aracaju, o livro intitulado por ´Homenagens Especiais ao Eterno Rei do Baião´.

"Além de ressaltar uma visão diferente da vida de Luiz Gonzaga, a obra traz um legado da cultura nordestina com traços das obras de arte gonzagueanas e seus artesanatos. Os interessados adquirem o livro composto por 13 capítulos e o material ainda é acompanhado por um CD com 13 canções em homenagem ao ´Rei do Baião´ e entrevistas inéditas", completou o coronel Marcelo.

O lançamento oficial do livro ocorreu dia 3 de junho em Teresina, no Piauí. Em Aracaju, a obra ´Homenagens Especiais ao Eterno Rei do Baião´ acontece no sábado, 19, às 14 horas, no Complexo Cultural Gonzagão, localizado no conjunto Augusto Franco, bairro Farolândia.

Apoio ao GACC

Cada livro tem o valor simbólico de R$ 25, sendo 25% da renda arrecadada no Estado destinada para o Grupo de Apoio à Criança com Câncer (GACC/SE), instituição filantrópica sem fins lucrativos que tem como missão humanizar o tratamento da criança e do adolescente com câncer oferecendo assistência psicossocial e material, garantindo aos jovens o direito à saúde e a vida.

Luiz Gonzaga

Luiz Gonzaga do Nascimento, conhecido também como ´Rei do Baião´, foi uma das mais completas e inventivas figuras da música popular brasileira. Cantando acompanhado de sanfona, zabumba e triângulo, levou a alegria e a sexualidade das festas juninas e dos forrós pé-de-serra; bem como a pobreza, as tristezas e as injustiças de sua árida terra para o resto do país, numa época em que a maioria das pessoas desconhecia o baião, o xote e o xaxado.

Admirado por grandes músicos, como Gilberto Gil e Caetano Veloso, o genial instrumentista e sofisticado inventor de melodia e harmonias, ganhou notoriedade com as antológicas canções Baião (1946), Asa Branca (1947), Siridó (1948), Juazeiro (1948), Qui Nem Giló (1949) e Baião de Dois (1950). Nascido em Exu, interior de Pernambuco, filho do sanfoneiro seu Januário, o melhor sanfoneiro do sertão pernambucano, a quem tantas vezes homenageou, trabalhou na roça e animou os bailes da região com sua sanfona antes de ser destaque no mercado musical.

Fonte: PM/SE apud Atalaia Agora


Noticia extraida do ClickSergipe